Descrição detalhada do programa do instituto

De Tecnopolíticas
Ir para: navegação, pesquisa

I) Pretende-se fortalecer a articulação entre grupos de pesquisa dedicados a investigar as tecnologias de informação e núcleos voltados ao estudo das questões urbanas, promovendo a consolidação de um campo de estudo e de desenvolvimento científico e tecnológico inovador que aborda a metrópole estrategicamente, a partir do cruzamento entre territórios físicos e redes informacionais. A operacionalização dos instrumentos para a comunicação e para a colaboração em rede coloca-se, portanto, como uma das primeiras etapas a se perseguir, com a implantação do site do Instituto, da wikimedia e da plataforma moodle (Ver objetivos).

II) Os eventos científicos anuais e as reuniões semestrais do comitê gestor funcionarão como momentos de avaliação e de estruturação das estratégias de cooperação entre membros participantes. Um primeiro encontro deverá ser realizado em seguida à aprovação do Instituto, como ponto de estruturação inicial para orientar a produção do ano subsequente. A publicação dos livros vinculados a tais eventos deverá acontecer a partir da segunda edição, quando já será possível apresentar e analisar resultados.

III) A ampliação de pesquisas de mestrado, doutorado e pós doutorado deve acontecer de maneira gradual, a partir da aprovação do Instituto. Coloca-se como meta manter a expansão crescente do número de trabalhos orientados e concluidos pelos seus pesquisadores, dentro de suas linhas de pesquisa.

IV) Da mesma forma, a participação em eventos internacionais e a publicação de trabalhos científicos deve acontecer desde a fundação do Instituto e se ampliar gradualmente.

V) As ações de internacionalização deverão ser implantadas em diversas etapas. Os parceiros internacionais devem ser integrados aos eventos anuais desde o início de sua realização; a selação de pesquisadores visitantes também deve ser incentivada a curto prazo, visando intensificar o intercâmbio com os núcleos do Instituto e consolidar as parcerias com instituições estrangeiras. A médio prazo deverão ser estruturadas as missões científicas e o desenvolvimento de projetos de pesquisa em colaboração internacional.

VI) Os produtos das pesquisas laboratoriais (desenvolvimento de aplicações web, de aplicações móveis, produção de infraestrutura urbana leve, computação ambiente etc. - ver objetivos) impõem-se como objetivos a serem atingidos a médio e a longo prazo. Entende-se que anteriormente é necessária uma etapa de articulação mais profunda dos laboratórios participantes, visando estabelecer bases teóricas e metodológicas comuns e intercâmbio de competências específicas que dêem suporte ao trabalho colaborativo a se desenvolver. A partir daí, pretende-se consolidar essa produção buscando sempre articulá-la a demandas setores diversos da sociedade (comunidades em situação de vulnerabilidade social, grupos civis organizados, etc.) e dos setores públicos (administrações municipais, estaduais e federal, gestores urbanos, educadores da rede pública, etc.)

VII) A atuação em parceria com o setor público nas esferas municipais, estaduais e federal coloca-se como um dos principais objetivos do Instituto, a se consolidar em médio a longo prazo. Compreende-se a necessidade de um momento inicial de consolidação e ampliação da rede de pesquisadores, articulação da produção laboratorial e estabelecimento de parcerias e convênios com as diversas instâncias de Governo para que se possa dar início ao desenvolvimento de diretrizes para políticas públicas urbanas, a prestação de consultoria e à elaboração de ferramentas e mecanismos tecnopolíticos de gestão urbana em cooperação com o Estado.

VIII) As ações voltadas à juventude serão divididas entre metas a serem implantadas a curto prazo, como os hackatons e as cryptoparties que devem acontecer desde o primeiro ano e metas de médio a longo prazo, como os cursos de capacitação em cultura hacker ou os cursos voltados a educadores da rede pública de ensino. Pretende-se explorar a experiência e os resultados dos hackatons e das oficinas de curta duração a serem realizados desde a fundação do Instituto como laboratórios para a estruturação dos cursos de capacitação mais prolongados.

X) Considera-se a implantação dos cursos de especialização lato sensu como meta a ser concluída a longo prazo, propondo que cada núcleo regional tenha pelo menos uma turma ao fim do período de vigência inicial do Instituto.